Texto de em 23 de Abril de 2015 . 1 comentário.

passa pira, afasta a pira
que essa pira é Curupira;
ludibria e dobra a mente
como dobra os próprios pés…
faz zarpar vil embusteira!

ô menina, não delira
respira e repousa; é mentira!
qu’ela zomba em teu tormento
vai prum lado e quer-te invés
pira errada e trapaceira

pira, pira, não me mira
impostora, Curupira
não caio na tua armadilha.

contra pés dissimulados,
teço a calma num bordado
abrando a cabeça andarilha.

por Carolina

  • Bruno Romã

    Massa’paca!