Texto de em 12 de novembro de 2016 . Nenhum comentário.

– Eu te amei.
– Você foi covarde.
– E você foi intransigente.
– Eu tive que seguir a minha vida sem você.

Olharam-se, desejaram sorte um para o outro, “a gente se vê por aí…”, um tentou não levar o rancor, o outro só tentou seguir em frente. Um arrumou um novo companheiro, o outro arrumou um novo emprego.
 
Os dois se encontraram ontem por acaso, um deu oi, o outro deu um abraço. Os dois estavam bem. Um foi para a casa com uma velha canção do Jobim na cabeça, o outro se lembrou de um poema do Neruda.
 
Um tem a esperança de que o destino dos dois volte a se cruzar, o outro não.

 
 

texto de Sissa Stecanella

ilustração de Sophia Montenegro