Texto de em 22 de setembro de 2017 . 1 comentário.

1.

 

era para ser apenas mais um sábado, a princípio. de onde, então, vinha aquela sensação esquisita? a intuição de vida-por-um-fio a surpreendeu logo cedo, logo ao acordar, como um vazio que dá no peito, um desconforto, uma angústia intermitente. por via das dúvidas, conferiu o horóscopo de sagitário do dia e constatou que não havia nada de errado, a princípio. tanto melhor.

 

enquanto engolia sem vontade uma pizza de quinta-feira reaquecida na sanduicheira, repassava a programação do dia. nada de muito diferente, a princípio: a lista da manhã incluía o tradicional passeio com o cachorro da namorada, aliado a uma caminhada à banquinha de jornais para comprar cigarros. na volta, passaria no açougue, para depois começar a cozinhar: já tinha em casa molho de tomate, creme de leite, cebolas, mostarda, molho inglês, conhaque e batata palha, de forma que os ingredientes para o estrogonofe já estavam quase que totalmente resolvidos. a princípio, só faltava a carne. repassou a manhã, acentuou-se a angústia.

 

ao início da tarde, começaria a cozinhar. terminaria ali por uma e meia, bem a tempo de buscar a namorada no aeroporto, cansada de mais uma entediante viagem da firma. almoçariam o estrogonofe, tomariam um banho e provavelmente dariam uma transadinha. a princípio, a namorada gostaria de dar uma cochilada pós-foda, para se recuperar, então planejou uma passada no buffet infantil onde pretendia fazer a festa de aniversário do sobrinho preferido. até porque é melhor conhecer o lugar do que marcar assim, no escuro. programou a tarde e a angústia aumentava.

 

à noite, a princípio, filmes. na volta do buffet, passaria na panificadora e buscaria uns quatro pães franceses, queijo e presunto e alguns minissonhos, a princípio, todos de nata. lanchariam, deitariam no sofá, escrutinariam o catálogo da Netflix por uns 35 ou 40 minutos até decidirem por um filme ruim qualquer. depois do primeiro filme, abririam um vinho. a princípio, veriam mais um filme e, se possível, o segundo seria mais picante para instigar, quem sabe, mais uma transadinha depois. seguiriam-se carícias, conchinha, sono gostoso. a noite planejada, a angústia ainda lá.

 

 

 

2.

 

comeu a bordinha com ketchup extra. levantou, pegou a coleira, Vamo lá passear, Tobias?, e se pôs a caminhar com o cachorro do lado. andou uma, duas, três quadras, atravessou uma esquina complicada, Me dá três maços de Marlboro, por favor, Muito obrigada, e virou sentido açougue. Seiscentos gramas de contra-filé, por favor, Se der pra ser cortadinho para estrogonofe, agradeço, Obrigada. tomou o rumo de casa, largou o akita no quintal, lavou bem as mãos, preparou com cuidado a refeição, provou, Nossa, hoje eu acertei. entrou no carro, botou para tocar uma playlist de música brasileira, cantou junto, Se não tivesse o amor, Se não tivesse essa dor, E se não tivesse o sofrer, E se não tivesse o chorar. estacionou no aeroporto, encontrou sua namorada, que sorria um sorriso enorme, Oi, meu amor!, Que saudade, Deixa que eu levo essa pra você. voltou, sentaram, almoçaram, Gostou?, Hoje eu acertei, né?. deixaram as louças na pia, as roupas no chão do quarto, foram para o banho, se banharam, se beijaram, se apertaram, se esfregaram, Nossa, eu tava com muitas saudades de você, mulher. foram para cama e continuaram o que estavam fazendo, transaram, gozaram, terminaram, Jesus, que delícia. Agora dá uma descansada, que vou passar lá no buffet onde tô querendo fazer o aniversário do Lucas, tá? pegou o carro novamente, botou uma playlist de porcarias variadas, cantou, Never made it as a wise man, I couldn’t cut it as a poor man stealing, Tired of living like a blind man, I’m sick of sight without a sense of feeling. o buffet era bem bonitinho, gostou, o Lucas iria adorar, Posso te ligar na segunda pra confirmar?, Beleza, obrigada, Até segunda, Sandra, voltou pro carro e parou na padaria. Quatro pães franceses, por favor, Ah!, Queria cento-e-cinquenta gramas de queijo e de presunto, Isso, cento-e-cinquenta de cada, E me veja também seis minissonhos, três de nata e três de goiaba. chegou, a namorada já acordada, Oi, linda!, lancharam, puxaram o assento do sofá para ficarem bem esticadinhas. olharam toda e qualquer cateoria possível de filmes do Netflix, Vamos ver esse aqui do Nicolas Cage, haha, Dizem que é o pior dele, Pelo menos deve ser engraçado. assistiram, riram bem menos do que o esperado, abriram o vinho e começaram a assistir Azul é a Cor Mais Quente, deram mais umas bitocas mas o sono começou a bater e nem transaram pela segunda vez. Vamo dormir, né?, Eu tô morta e cê ainda deve tar cansada da viagem, né?, deitaram, trocaram carícias, beijinhos, abracinhos, montaram a conchinha.

 

 

3.

 

dormiu só a namorada, porque a angústia ainda estava lá.

passou mais duas ou três horas insone, remoendo a impressão de vida-por-um-triz.

 

ela se esforçaria para relaxar e descansar muito bem se soubesse o que viria pela frente no domingo, mas, infelizmente, não sabia.

 

aquele, no fim das contas, foi apenas mais um sábado.

texto por Rômulo Candal
ilustração por Marco Antonio

  • Talitta

    ai, mas e o domingo???????????????????????